LENDA DO CEMITERIO VUDU

Peter e a lenda do cemitério Vudu


Dizem as vizinhanças que há uma lenda numa casa de uma pequena cidade de Shefield que dizem ser assombrada. E para essa casa a família McGregory resolveu se mudar. De Londres para Shefield a família McGregory se mudou de uma casa pequena para essa casa grande que ninguém morava a muito tempo.
Quando o Sr. McGregory chegou lá com seus filhos, um menino de 12 anos chamado Peter e sua irmã de 17 anos chamada Laury, o Sr. McGregory não notou nada além de muita sujeira . E logo na manhã seguinte ele e a Sra. Mary Ann, sua esposa, começaram a fazer a faxina naquela casa. O Sr. McGregory era um velho rico que estava quase batendo as botas e após a faxina começaram a acontecer coisas estranhas.
A vizinhança dizia ouvir vozes e o pequeno Peter também ouvia vozes a noite e começava ali a ter pesadelos. No outro dia Peter contou para seus pais, que o proibiram de assistir filmes na TV por uma semana, pensando que fosse pobres pesadelos de uma ingênua criança. E Peter protestou e foi para seu quarto. Começou de novo suas alucinações e Peter viu escrito com sangue na parede “Seu pai vai ser assassinado”, e também apareceu um homem sujo de terra e todo estraçalhado que, parecia ter sido desenterrado, falando “Saia de minha casa Peter ou eu vou destruir sua família”. Peter não ligou pensando ter sido só um pesadelo e foi dormir só um pouco assustado. Só tomou nota do tamanho do problema quando no outro dia seu pai foi trabalhar e já estava atrasado uma hora com relação ao horário que ele chegava todos os dias, Peter se levantou da mesa onde esperava o Sr. M Gregory e disse “Mãe, mãe ontem eu tive um pesadelo que dizia que papai seria assassinado!!!”, e a senhora Mary Ann pensou ser bobeira de seu filho e disse que seu pai devia estar atrasado por causa do trânsito ou algum trabalho acumulado. Neste momento tocou o telefone e a Sra. McGregory atendeu, era a polícia dizendo que encontrou um corpo irreconhecível devido ao desastre, mas no bolso esquerdo da jaqueta do corpo tinha o documento do Sr. McGregory e o telefone de sua casa. E então Mary Ann só pensou em chorar e nem lembrou do que o pequeno Peter havia lhe falado.
Passaram-se 2 anos e Peter continuava tendo pesadelos que cada dia se tornavam mais reais, num dia acertaram que sua irmã estava grávida e que o filho devia ser sacrificado por Peter, mas Peter resistiu e não disse nada a família.
Depois de uma semana estava lá Laury dizendo que descobriu que estava grávida. Peter ficou revoltado e disse a mãe que todos deveriam sair daquela casa e que havia recebido um alerta que dizia: “Se aquele filho nascer e vocês estiverem aqui ainda, eu irei sacrificá-lo e como vocês já estão aqui a muito tempo se vocês saírem eu quero a alma do pequeno Peter”, mas a mãe era teimosa e dizia que o filho estava com ciúmes do filho de sua irmã.
Então o único McGregory homem da casa começou a receber mais ameaças a noite. E já estava sem dormir a uma semana, a Sra. Mary Ann mandou seu filho para a terapia e um dia Peter pegou seu bastão de baseball e destruiu o berço e os brinquedos que o filho de Laury já tinha ganhado antes de nascer, sua mãe se revoltou, e como ela protegia e gostava mais da filha que lhe daria um neto, mandou Peter para um reformatório de menores.
Como no reformatório Peter não tinha assombrações ele passou bem e foi liberado em seis meses. Quando voltou para casa sua irmã já estava de sete meses. As alucinações continuaram e Peter resolveu pesquisar quem havia morado naquela casa antes, ele matou a aula e foi na biblioteca. Achou um registro que dizia que lá antes era um cemitério de rituais vudus e macumbas, e todos as pessoas que moraram lá não ficaram muito tempo alegando ser uma casa assombrada, e por aquele registros, sua família tinha sido a que passou mais tempo ali.
Visto que sua mãe não confiava nele Peter tentou resolver sozinho e esse foi seu erro, pois devido as alucinações ele ficou hipnotizado pelas mensagens que recebia dos mortos.
Chegou o dia, após dois meses Peter estava hipnotizado e ouviu na noite passada que o bebê iria nascer naquele dia, então Peter foi assistir o parto que correu bem, e quando viu seu pequeno sobrinho no berçário, ele disse: “Essa pequena criatura não pode passar por o que eu passei” e pegou o machado de sua sacola e cortou aquela pequenina criança ao meio, enfermeiros tentaram detê-lo mas ele tirou uma arma da sua sacola e apontou para sua cabeça, se suicidando e alguns dizem que assim acabou a maldição, mas nunca mais alguém teve coragem de entrar naquela casa que era no fundo um cemitério onde agora Peter iria assombrar quem aparecesse lá …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: